Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Exercício e Saúde

by LONGAEVITAS

Exercício e Saúde

by LONGAEVITAS

31
Jan12

Gastrite crónica e metaplasia

Longaevitas

Boa tarde,

Sofro há vários anos do estômago. Tenho uma Gastrite crónica, ultimamente com presença de metaplasia intestinal.

Será que seria benéfico para mim saber  quais os alimentos a  que sou intolerante?

Agradecia uma resposta. Muito obrigado

Vera Rodrigues

 

Há muita confusão no que se refere aos sintomas e à relação destes com os seus causadores. Sabemos que a bactéria Helicobacter pylori pode determinar uma gastrite crónica, e que esta bactéria vive em ambientes ácidos, como é o caso do estômago.  Como a infecção pela bactérica é crónica, a inflamação também é. Podemos ainda falar de gastrite crónica atrófica, quando há diminuição de células da mucosa do estômago, com redução acentuada da produção de ácido gástrico, que é fundamental para a "esterilização" do que ingerimos e para a digestão dos alimentos. A gastrite atrófica tem de ser acompanhada pelo seu médico, pois pode conduzir à atrofia gástrica e a outras patologias graves. Por outro lado, a bílis também pode refluir para o estômago causando a sua inflamação crónica.

Podemos assim verificar que a gastrite crónica pode ser influenciada por um ou vários factores.

Quanto à metaplasia intestinal que refere também estar presente, é preciso estudar o seu caso, por exemplo através de uma endoscopia que certamente já fez. A metaplasia pode ser provocada por refluxo gastroesofágico. O retorno do suco gástrico ao esófago, provoca uma inflamação. Se esta situação se prolonga por muito tempo, as células do esófago começam a modificar-se para aguentar o contacto com o ácido, ocorrendo por esta razão, uma metaplasia intestinal.

É muito importante contornar o problema do refluxo.

Certamente que já foi ao seu médico e que está a ser acompanhada, mas não podemos deixar de referir a importância deste detalhe.

Finalmente, em relação à sua pergunta e apesar de reconhecermos que o teste não é a resposta para todo o problema, podemos igualmente afirmar que o teste pode ser decisivo para corrigir o processo inflamatório.

O que o Yorktest faz é identificar quais os alimentos que especificamente estão a provocar inflamação. Sempre que nos confrontamos com um processo de intolerância (ou alergia retardada) a um ou mais alimentos experimentamos igualmente a consequência deste processo que a longo prazo resultará numa inflamação. Como perceberá, no caso de deixar de ingerir os alimentos aos quais é intolerante poderá também reduzir a inflamação e deste modo mudar substancialmente a qualidade da sua vida. Gostava ainda de acrescentar que a alteração da sua alimentação será cuidadosamente ajustada às suas queixas que no seu caso para além de retirados e substituídos os alimentos aos quais se mostrou intolerante ser-lhe-á sugerida uma dieta que possa diminuir substancialmente a acidez e deste modo os sintomas descritos.

O Yorktest é feito em duas fases, indicador e upgrade. O indicador é um rastreio que permitirá saber se há intolerância ou não, e só no caso de haver intolerância é que passa a fazer a  2ª fase que lhe dirá quais os alimentos a que é intolerante.

Responder genericamente a uma pergunta tão específica não é fácil, mas esperamos ter ajudado.

Se precisar de mais esclarecimentos por favor volte a escrever-nos para o nosso email ou ligue para o 214220091.