Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Exercício e Saúde

by LONGAEVITAS.pt

Exercício e Saúde

by LONGAEVITAS.pt

12
Nov09

Luz e óculos

Longaevitas

 

Vou partilhar convosco uma história sobre a importância da luz para a nossa saúde,e que retirei do livro "a luz que cura" de Fabio  Marchesi.

 

O Dr. Ott, no seu livro Health and Light, conta como, por casualidade descobriu nele próprio, que a química do corpo e o metabolismo de cada célula e de cada tecido é influenciada pelas características da luz que entra nos olhos e alcança a glândula pineal.
O Dr. Ott teve um problema de artrite na anca que não conseguia tratar de forma nenhuma e que o impedia de fazer uma vida normal. Não podia fazer esforços e tinha dor frequentemente. Tinha tentado de tudo, dieta, suplementos, produtos farmacêuticos, banhos mornos, etc., mas nada funcionava. Pensando que o Sol pudesse fazer bem, aproveitou um período de trabalho na Flórida para ir frequentemente à praia, mas não observou nenhum benefício evidente. 
Um dia, partiu os óculos que usava sempre, e até ter óculos novos utilizou os óculos de reserva, mas como estes o magoavam no nariz passava a maior parte do tempo sem óculos. As dores da anca começaram a reduzir. Como já tinha tentado tudo para se ver livre desta doença, decidiu considerar a possibilidade de haver uma relação com os óculos. Ott foi o primeiro a demonstrar em 1964, num trabalho publicado no anais do New York Academy of Science , como as plantas só podem atingir pleno desenvolvimento se a luz solar chegar a elas sem ser reduzida ou distorcida por qualquer forma de vidro ou material transparente e que, por exemplo o desenvolvimento das maçãs pode ser retardado ou completamente impedido se a luz solar for simplesmente filtrada mesmo que atinja a planta através de vidro transparente.
O facto é que as lentes dos óculos, mesmo sendo transparentes, induzem uma distorção no comprimento de onda impedindo-a quase completamente de chegar ao olho, eliminando quase inteiramente os raios ultravioleta que mesmo sendo invisíveis, condicionam o correcto funcionamento do “delicado” sistema endócrino e hormonal.
No caso do Dr. Ott, poucos meses antes, o seu médico tinha prognosticado a necessidade de fazer uma intervenção cirúrgica, mas depois de evitar usar os óculos durante alguns meses, conseguiu curar-se. Na altura em que o Dr. Ott escreveu este livro, em 1973, ainda não estavam disponíveis todos os estudos de investigação que vieram confirmar os efeitos terapêuticos do Sol e da luz, no entanto a sua experiência foi fundamental para o motivar a aprofundar a sua investigação. Apesar de ter vindo originalmente do mundo médico tradicional todas as pessoas que tinham problemas como diabetes, perda de visão, artroses, artrites e mesmo tumores, que seguiram a sugestão do Dr. Ott e experimentaram tiraram os seus óculos utilizando-os apenas quando é indispensável e procuraram expor-se o mais possível à luz solar, obtendo benefícios impressionantes.
 
A luz que entra nos olhos deve ser o mais semelhante possível à luz do Sol. Qualquer coisa que a possa modificar ou distorcer determina efeitos negativos no corpo.
 
É evidente que só a experiência de um homem e de dezenas ou centenas de pessoas que beneficiaram destas sugestões não conseguiram fazer com que o mundo científico aceitasse mudar as suas convicções. Mas devido ao seu contributo, hoje a bibliografia científica relativa aos efeitos terapêuticos da luz é vastíssima, enquanto muitos refutaram e não acreditaram, muitos outros foram estimulados a desenvolver investigação sempre mais aprofundada.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.